Solidariedade no “Perdão de Assis”: fiéis poderão doar alimentos para famílias carentes

Paz e Bem!

Na próxima sexta-feira (5 de agosto), o Convento da Penha e a Paróquia do Rosário vão promover a celebração do Perdão de Assis, com caminhada penitencial e campanha de doação de alimentos. A celebração é a marca da misericórdia e do amor de Deus por toda a humanidade, e é também ocasião de celebrar a reconciliação, com Deus e com o próximo.

A festa do Perdão de Assis está intimamente ligada à Porciúncula, a pequena igrejinha restaurada por São Francisco e que hoje está no interior da Basílica de Santa Maria dos Anjos, em Assis, cidade italiana da região da Úmbria. Francisco de Assis, naquela noite luminosa, em 2 de agosto de 1216, pede ao Senhor Jesus e à Virgem Santíssima, que lhe apareceram em visão exatamente na Porciúncula: “Eu te peço, Senhor Jesus, que qualquer homem ou mulher que virá aqui na Porciúncula, arrependido das próprias culpas, possa extraordinariamente experimentar a misericórdia, do perdão”. Essas palavras do Santo de Assis contêm uma urgência: a urgência do perdão, a urgência da misericórdia.

Talvez hoje pareça pouco atual falar de perdão, ou pode ser mais conveniente e mais atual falar de firmeza, de segurança, de fronteiras, porque talvez hoje a misericórdia e o perdão nos pareçam um amor pouco confiável. Ao contrário, porém, Francisco nos sugere que a misericórdia é a emergência que encontramos no coração do homem.

Ainda temos vivido tempos sombrios, difíceis, tempos dolorosos agravados pela pandemia. A falta de empatia, o desprezo pela vida, a falta de diálogo… Todas essas situações não estão de acordo com a conduta de verdadeiros cristãos. Mas é também o tempo da graça, o tempo da redenção. É tempo de abrir-se ao reencontro consigo mesmo, – num exercício de humilde reconhecimento da falta cometida-, e na generosa disposição de apostar na possibilidade do recomeço.

Hoje, mais de 800 anos depois, somos convidados a viver este momento de graça e também, assim como fez e faz o povo que visita a Igrejinha de Nossa Senhora dos Anjos na Itália, recebermos a graça do Perdão de Assis.

Além da retomada das atividades presenciais do “Perdão de Assis”, neste ano, os fiéis poderão doar alimentos para famílias carentes. O país vive novamente o cenário da fome e não é muito distante, isso porque na própria paróquia do Rosário, no Centro da cidade de Vila Velha, há muitas famílias que não têm o básico. Diante disso, haverá arrecadação de alimentos para a campanha paroquial de assistência e combate à fome.

Como doar os alimentos?

– Durante a semana na Secretaria Paroquial que funciona no Santuário de Vila Velha (Rua Cabo Aylson Simões, 762, Centro, Vila Velha-ES – CEP  29100-320). Funcionamento de segunda a sexta, das 8h às 18h – mais informações: (27) 33291266

– Sexta-feira na Igreja do Rosário na concentração antes do início da caminhada, na próxima sexta-feira (5 de agosto). De 18h às 19h30.

– Sexta-feira na Portaria do Convento da Penha: ao longo do dia e principalmente na procissão luminosa. De 18h às 21h.

Não se esqueça! Vamos celebrar a Festa do Perdão de Assis, a misericórdia e o amor de Deus por toda a humanidade, na próxima sexta-feira (5 de agosto). A concentração será às 19h, em frente à Igreja do Rosário, na Prainha. Às 19h30, com velas nas mãos, os fiéis vão iniciar a Caminhada Penitencial rumo ao Campinho do Convento.

O que é o “Perdão de Assis”?

O Perdão de Assis é uma celebração franciscana com mais de 800 anos de história. Com materna generosidade, a Ordem Franciscana abre os tesouros que por nosso Senhor, lhe foram confiados e dá à todos seus filhos e filhas a possibilidade de receber o Perdão da Porciúncula, cuja origem se deve àquela ardente caridade com que São Francisco de Assis, Pai Seráfico dos Frades Menores e amante dos pobres, iluminou e incendiou de amor os lugares, as almas, os fiéis e toda a Igreja.

Em 1216, após passar a noite em profunda oração, São Francisco estando na pequenina Igreja da Porciúncula (Itália), nas proximidades de Assis, uma visão de Maria Santíssima e de seu divino Filho. Perguntaram-lhe, naquela milagrosa e singular aparição, que favor ele gostaria de pedir. Zeloso pela salvação das almas, Francisco não demorou a responder-lhes: “Que todos quantos, arrependidos e devidamente confessados, vierem visitar esta igrejinha, possam receber a completa remissão de seus pecados”. Jesus então lhe disse: “É grande o que me pedes; mas o concedo de bom grado, sob a condição de que vás pedir tal indulgência ao meu vigário na terra, o Papa”. Francisco foi às pressas ao encontro do Pontífice da época, o Santo Padre Honório III, que, apesar das hesitações e medos da Cúria Romana, acabou aceitando aquele inusitado pedido. Voltando para a Porciúncula poucos dias depois, Francisco de Assis exclamou, com lágrimas de alegria, diante do povo e do episcopado da Úmbria: “Irmãos, quero levar-vos todos para o Paraíso!”. E assim ficou instituído o chamado Perdão de Assis.

O Perdão, constitui-se como uma manifestação do amor misericordioso de Deus sobre à Igreja e sobre os fiéis, sendo também um sinal da paz e do bem deixados como herança por São Francisco de Assis.

Ao participar da Celebração do Perdão de Assis, os fiéis, a partir de reflexões pessoas, meditações, orações, experiências de fé e dos ritos sacramentais, recebem de Deus a misericórdia, a compaixão e a Indulgência Plenária. O momento propicia aos participantes, um profundo e sincero exame das atitudes e pensamentos.

O privilégio de receber o perdão e a reconciliação, nos dada como garantia a partir do Evangelho de Nosso Senhor, se estende também ao Convento da Penha. “Irmãos, quero levar-vos todos para Paraíso!”, permanece a clamar Francisco de Assis a todo fiel cristão. Façamos de Vila Velha a nossa Cidade de Assis.

Celebração do Perdão de Assis, um momento de espiritualidade, oração, silêncio e profundo reconhecimento da misericórdia de Deus.

Fonte: Convento da Penha

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Facebook