Papa Francisco recebe alta e reza na Basílica Santa Maria Maggiore

O Papa Francisco recebeu alta da Policlínica Gemelli, em Roma, após uma delicada cirurgia de cólon. O Papa partiu da via Trionfale às 10h45 (horário de Roma) no carro de costume. Antes de regressar ao Vaticano, dirigiu-se alguns minutos à Basílica de Santa Maria Maggiore, onde de acordo com o comunicado da Sala de Imprensa, diante da Virgem “Salus Populi Romani”, Francisco agradeceu pelo bom êxito da sua cirurgia e dirigiu a Nossa Senhora uma oração por todos os doentes, especialmente por aqueles que o Papa encontrou durante os dias de sua internação. Pouco antes das 12h, voltou para a Casa Santa Marta.

A internação pós-operatória necessária para diverticulite esclerosante durou 10 dias. A hospitalização de Francisco ocorreu no início da tarde de domingo, 4 de julho, e, segundo informou a Sala de Imprensa do Vaticano, foi planejada. Inicialmente, foi anunciada uma internação de pelo menos sete dias, depois prorrogada pelos médicos que queriam permitir que Bergoglio – que fará 85 em dezembro – se recuperasse com tranquilidade.

Depois de ter reaparecido em público no domingo, para a recitação do Ângelus, Bergoglio visitou ontem o serviço de Oncologia Pediátrica, localizado no décimo andar da Policlínica, próximo ao setor reservado ao pontífice.

Muitos carinhos e a resposta em tímidos sorrisos: assim foi a tarde do Papa Francisco, que transcorreu alguns instantes visitando a Unidade de Oncologia Pediátrica da Policlínica Gemelli, que fica no mesmo andar onde está internado.

O que chamou a atenção do Pontífice foi a música que provinha do corredor próximo ao seu apartamento. Um projeto da capital italiana leva concertos a crianças internadas nas sessões de oncologia e a etapa desta terça-feira estava justamente programada no Hospital Gemelli às 16h30 locais. Assim que o concerto terminou, o Santo Padre foi até ao local para saudar os pacientes e seus pais.

Dois dias atrás, no Angelus dominical, Francisco se circundou de crianças da mesma unidade para rezar a oração mariana e naquela ocasião falou do mistério que representa a dor infantil. Não há resposta para a pergunta “Por que as crianças sofrem?”, mas certamente é uma pergunta que toca o coração.

Fonte: Franciscanos (com informações dos sites La Repubblica e Vatican News)

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Facebook