O italiano Frei Massimo Fusarelli é eleito Ministro Geral

Os 116 frades capitulares que participam do Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores, em andamento no Colégio Internacional São Lourenço de Brindisi, em Roma, elegeram na manhã desta terça-feira, 13 de julho, o novo Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores. O 121º representante de São Francisco de Assis é o italiano Frei Massimo Fusarelli, atualmente Ministro Provincial da Província São Boaventura, nascida da união das antigas províncias de Abruzzo e Lazio, ocorrida em 2017. Ele ficará na função de Ministro Geral de 2021-2027.

A eleição foi presidida, segundo nomeação do Papa Francisco, pelo Cardeal brasileiro João Braz de Aviz, Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica. Amanhã (14/7) será eleito o Vigário Geral e, na quinta-feira (15/7), os integrantes do Definitório Geral.

Frei Massimo nasceu em Roma em 30 de março de 1963 (58 anos). Conheceu os Frades Menores da Paróquia de São Francisco em Tivoli, amadurecendo a escolha pela vida religiosa franciscana. Vestiu o hábito franciscano em 28 de julho de 1982, fazendo a Primeira Profissão em 30 de julho de 1983. Ele viveu até 1989 na “São Bonaventura” de Frascati, preparando-se para a profissão solene e ordenação presbiteral, recebidas na Igreja de “São Francisco” do Tivoli, em 30 de setembro de 1989.

Depois do Noviciado, cursou Filosofia e Teologia no então Pontifício Ateneu Antoniano, obtendo o Bacharelado em Teologia em 1988. Por decisão de seus superiores, iniciou os cursos de Licenciatura e Doutorado em Teologia Patrística no Pontifício Instituto Patrístico Augustinianum, obtendo os títulos relacionados em 1992. Lecionou Teologia Patrística no Instituto de Ciências Religiosas do então Pontifício Ateneu Antoniano (1991-1996).

Já esteve no governo da Ordem quando foi Secretário Geral de Formação e Estudos (2003 a 2009) e Visitador Geral para a Província de Nápoles e depois para o processo de unificação das Províncias do Norte da Itália. Em nível provincial, foi Definidor, animador da Pastoral Vocacional e depois secretário da Formação Permanente; várias vezes guardião, função que acumula hoje como Ministro Provincial, além de pároco da Paróquia São Francisco a Ripa e responsável pelo projeto de acolhida aos pobres. Foi nessa igreja onde São Francisco viveu e rezou em sua passagem pela Cidade Eterna, durante as visitas ao Papa Inocêncio III.

Nos últimos anos residiu nos Conventos São Bonaventura al Palatino em Roma e Santa Maria delle Grazie em Ponticelli Sabino (Rieti), também foi convidado a fazer parte do Conselho Presbiteral da Diocese de Sabina e depois no Conselho de Roma (1999-2002), sempre no contexto da pastoral juvenil e vocacional. Participou e organizou missões populares e animação nas paróquias.

No serviço de unificação das Províncias do Norte, em tempo integral, Frei Massimo presidiu o Conselho de seis ministros provinciais de janeiro de 2014 até a união, acompanhou os diversos órgãos interprovinciais, depois de realizada a visita canônica às 75 fraternidades locais, a visita fraterna aos 29 mosteiros das Irmãs Clarissas, a visita aos bispos diocesanos onde estão presentes os conventos,  e acompanhar a preparação do Capítulo Provincial unitário, inaugurado em 16 de maio de 2016 com o nascimento da nova Província do Norte da Itália.

De 2015 a 2018 foi assistente Geral do Instituto Secular dos Missionários da Realeza de Cristo; de outubro de 2016 a agosto de 2017 viveu com outros irmãos entre as vítimas do terremoto de Amatrice e Accumoli (Rieti). Em 2 de julho de 2020 foi eleito Ministro Provincial em Capítulo e, em 7 de outubro de 2020, presidente da Conferência dos Ministros Provinciais da Itália e da Albânia (COMPI). Agora, com sua eleição, Frei Luciano De Giusti, o Vigário Provincial, deve assumir a Província no seu lugar.

Segundo dados mais recentes publicados pela “Acta Ordinis”, neste Capítulo Geral, Frei Massimo acompanhará e animará a Ordem dos Frades Menores em 119 países em todos os continentes. Numericamente, os Frades Menores são cerca de 12.479 – não inclusos os 492 postulantes –  e estão assim distribuídos: África e Médio Oriente: 1.300; América Latina: 3.113; América setentrional: 1.004; Ásia-Oceania: 1.514; Europa Oriental: 2.314 e Europa Ocidental: 3.234.

O termo ministro vem diretamente do fundador, São Francisco de Assis, que, segundo ele, os irmãos eram todos iguais e não gostava do termo “superior”. Assim, os frades que supervisionavam os demais irmãos deveriam ser um servo que cuidava (“ministrava para”) deles e não um superior.

Os Ministros Gerais em mais de oito séculos

No dia 29 de maio de 1517, quando o Papa Leão X, depois de séculos de controvérsias, produziu a bula “Ite et vos in vineam meam”, com a qual sancionou a divisão entre os Conventuais não-reformados e os Observantes. Esses últimos se tornaram a Ordem dos Frades Menores e ao superior deles, o Ministro Geral, foi devolvido o antigo selo da Ordem e foi lhe dado o direito de precedência em relação ao superior dos Conventuais.

O século XVI vivia um generalizado clima de reforma religiosa e, aqui, situa-se a “Reforma Capuchinha”, aprovada pelo Papa Clemente VII (1522-1534) em 1528 mediante a bula “Religionis zelus”. Em 1529, o novo ramo franciscano redigiu suas primeiras normas de vida, conhecidas como “Constituições de Albacina”, que foram aperfeiçoadas em 1536 com as novas “Constituições de Santa Eufêmia”.

A partir de 1517, os três ramos da Ordem elegem seus ministros. Esta lista é somente da Ordem dos Frades Menores.

FUNDADOR
Francisco de Assis (1210–1226)

001 – Giovanni Parenti (1227–1232) – 1º Ministro Geral
002 – Elia de Cortona (1232–1239) – 2º Ministro Geral
003 – Alberto de Pisa (1239–1240) – 3º Ministro Geral
004 – Haymo de Faversham (1240–1243) – 4º Ministro Geral
005 – Crescenzio de Jesi (1244–1247) – 5º Ministro Geral
006 – Giovanni de Parma (1247–1257) – 6º Ministro Geral
007 – Boaventura de Bagnoregio (1257–1274) – 7º Ministro Geral
008 – Girolamo Masci d’Ascoli (1274–1279), mais tarde Papa Nicolau IV – 8º Ministro Geral
009 – Bonagrazia de Bolonha (1279–1285) – 9º Ministro Geral
010 – Arlotto de Prato (1285–1287) – 10º Ministro Geral
011 – Matteo d’Acquasparta (1287–1289) – 11º Ministro Geral
012 – Raimondo Gaufridi (1289–1295) – 12º Ministro Geral
013 – Giovanni de Murrovalle (1296-1304) – 13º Ministro Geral
014 – Gonsalvus Hispanus (1304–1313) – 14º Ministro Geral
015 – Alessandro B.de Alessandria (1313–1314) – 15º Ministro Geral
016 – Miguel de Cesena (1316-1328) – 16º Ministro Geral
017 – Geraldo Ot (1329–1342) – 17º Ministro geral
018 – Fortanier de Vassal (1343–1348) – 18º Ministro Geral
019 – Guillaume Farinier (1348–1357) – 19º Ministro Geral
020 – Juan Bouchier (1357–1358) – 20º Ministro Geral
021 – Marco de Viterbo (1359–1366) – 21º Ministro Geral
022 – Thommaso de Frignano (1367–1372) – 22º Ministro Geral
023 – Leonardo Rossi (1373-1378) – 23º Ministro Geral

Durante o Grande Cisma, os seguintes ministros gerais conduziram a Ordem na obediência romana:

024 – Ludovico Donati da Venezia (1379–1383) – 24º Ministro Geral
025 – Pietro da Conzano (1383–1384) – 25º Ministro Geral
026 – Martino Sangiorgio de Rivarolo (1384–1387) – 26º Ministro Geral
027 – Enrico Alfieri (1387-1405) – 27º Ministro Geral
028 – Antonio Vinitti de Pereto (1405-1408) – 28º Ministro Geral
029 – Antonio da Cascia (1410–1415) – 29º Ministro geral (no primeiro ano Vigário geral)
Antonio Vinitti de Pereto (1415–1420) – segundo compromisso

Ao mesmo tempo, o seguinte presidiu a Ordem de obediência de Avignon:

Angelo di Spoleto (1379-1391)
John Chevegneyo (1391-1402)
Giovanni Bardolini (1403-1417)

Após a conclusão do cisma, a Ordem foi reunida sob Antonio Vinitti.

030 – Angelo Salvetti (1421-1424) – 30º Ministro Geral
031 – Antonio da Massa Marittima (1424–1430) – 31º Ministro geral
032 – Guglielmo da Casale (1430–1442) – 32º Ministro Geral
033 – Antonio Rusconi (1443–1449) – 33º Ministro Geral
034 – Angel Cristofori del Toscano (1450–1453) – 34º Ministro Geral
035 – Jacob Bassolini (1454–1457) – 35º Ministro Geral
036 – Jaime Zarzuela (1458–1464) – 36º Ministro Geral
037 – Francesco della Rovere (1464-1469) – 37º Ministro Geral, mais tarde Papa Sisto IV.
038 – Zanetto de Udine (1469-1475) – 38º Ministro Geral
039 – Francesco Nanni (1475-1499) – 39º Ministro Geral
040 – Egidio Delfini de Amelia (1500-1506) – 40º Ministro Geral
041 – Rainaldo Graziani de Cotignola (1506-1510) – 41º Ministro Geral
042 – Filippo Porcacci de Bagnacavallo (1510–1511) – 42º Ministro Geral
043 – Bernardino Prati (1511–1517) – 43º Ministro geral (no primeiro ano como Vigário geral)

Ministros Gerais dos Frades Menores (OFM)

A partir desta data, depois de séculos de controvérsias, produziu a bula “Ite et vos in vineam meam”, com a qual sancionou a divisão entre os Conventuais não-reformados e os Observantes.

044 – Cristoforo Numai (1517–1518) – 44º Ministro Geral
045 – Francesco Lichetto (1518–1520) – 45º Ministro Geral
046 – Paolo da Soncino (1520-1523) – 46º Ministro Geral (no primeiro ano como Vigário geral)
047 – Francisco de Quiñones (1523–1527) – 47º Ministro Geral
048 – Paolo Pisotti (1529-1533) – 48º Ministro Geral
049 – Vincenzo Lunello (1535–1541) – 49º Ministro Geral
050 – Giovanni Matteo de Calvi (1541–1547) – 50º Ministro Geral
051 – Andreas Alvarez (1547–1553) – 51º Ministro Geral
052 – Clemente d’Olera (1553–1557) – 52º Ministro Geral
053 – Francisco Zamora de Cuenca (1559-1565) – 53º Ministro Geral
054 – Aloisio Pozzi da Borgonuovo (1565-1571) – 54º Ministro geral
055 – Christopher de Chaffontaines (1571-1579) – 55º Ministro geral
056 – Francesco Gonzaga (1579–1587) – 56º Ministro Geral
057 – Francesco de Tolosa (1587–1593) – 57º Ministro Geral
058 – Boaventura Secusi da Caltagirone (1593-1600) – 58º Ministro Geral
059 – Francesco Susa de Toledo (1600–1606) – 59º Ministro Geral
060 – Arcangelo Gualterio de Messina (1606–1612) – 60º Ministro Geral
061 – Juan Hierro (1612-1613) – 61º Ministro Geral
062 – Benigno de Genova (1618–1625) – 62º Ministro Geral
063 – Bernardino de Senna (1625-1631) – 63º Ministro Geral
064 – Giovanni Battista Visco (1633-1639) – 64º Ministro Geral
065 – Juan Marinero de Madrid (1639-1645) – 65º Ministro Geral
066 – Giovanni Mazzara, 1645-1648 – 66º Ministro Geral
067 – Pedro Manero (1651-1655) – 67º Ministro Geral
068 – Michaelangelo Bonadies de Sambuca/Sicília (1658–1664) – 68º Ministro Geral
069 – Ildefonso Salizanes (1664-1670) – 69º Ministro Geral
070 – Francesco Maria Rini (1670–1674) – 70º Ministro Geral
071 – Francesco Maria Nicolis (1674-1676) – 71º Ministro Geral
072 – José Ximenes Samaniego (1676-1682) – 72º Ministro Geral
073 – Pier Marini Sormani (1682-1688) – 73º Ministro Geral
074 – Marcos de Zarzosa (1688-1690) – 74º Ministro geral
075 – Juan Aluin (1690-1694) – 75º Ministro Geral
076 – Boaventura Poerio de Taverna (1694–1697) – 76º Ministro Geral
077 – Matteo de Santo Stefano (1697–1700) – 77º Ministro Geral
078 – Luis Torres (1700-1701) – 78º Ministro Geral
079 – Ildefonso Biesma (1702–1716) – 79º Ministro Geral
080 – José Garcia (1717–1723) – 80º Ministro Geral
081 – Lorenzo Cozza de S. Lorenzo (1723–1726) – 81º Ministro Geral
082 – Matteo Basile de Parete (1727–1729) – 82º Ministro Geral
083 – Juan Soto de Valladolid (1729-1736) – 83º Ministro geral
084 – Juan Bermejo (1736-1740) – 84º Ministro Geral
085 – Gaetano Politi de Laurino (1740-1744) – 85º Ministro Geral
086 – Rafaello Rossi de Lugagnano (1744–1750) – 86º Ministro Geral
087 – Pedro Juanete de Molina (1750-1756) – 87º Ministro Geral
088 – Clemente Guignoni de Palermo (1756–1762) – 88º Ministro Geral
089 – Pedro Juanete de Molina (1762-1768) – 89º Ministro Geral (segunda nomeação)
090 – Pasquale Frasconi de Varese (1768-1791) – 90º Ministro Geral
091 – Joaquim Company i Soler (1792-1806) – 91º Ministro Geral
092 – Ilario Cervelli de Montemagno (1806-1814) – 92º Ministro Geral
093 – Gaudenzio Patrignani e Coriano (1814-1817) – 93º Ministro Geral
094 – Cirilo Alameda e Brea (1817-1824) – 94º Ministro Geral
095 – Giovanni Tecca de Capestrano (1824–1830) – 95º Ministro Geral
096 – Luis Iglesias (1830-1834) – 96º Ministro Geral
097 – Bartolome Altemir (1835-1838) – 97º Ministro Geral
098 – Giuseppe Maria Maniscalco (1838-1844) – 98º Ministro Geral
099 – Luigi Flamini de Loreto (1844-1850) – 99º Ministro Geral
100 – Venanzio Metildi de Celano (1850-1856) – 100º Ministro Geral
101 – Bernardino Trionfetti de Montefranco (1856-1832) – 101º Ministro Geral
102 – Rafaele Lippi de Pontecci Marconi (1862-1869) – 102º Ministro Geral
103 – Bernardino dal Vago da Portogruaro (1869-1889) – 103º Ministro Geral
104 – Luigi de Parma (1889-1897) – 104º Ministro Geral
105 – Aloysius Lauer (1897–1901) – 105º Ministro Geral
106 – Dionysius Schüler (1903-1911) – 106º Ministro Geral
107 – Pacifico Monza (1911–1915) – 107º Ministro Geral
108 – Serafino Cimino de Capri (1915–1921) – 108º Ministro Geral
109 – Bernardino Klumper (1921-1927) – 109º Ministro Geral
110 – Boaventura Marrani (1927–1933) – 110º Ministro Geral
111 – Leonardo Bello (1933–1944) – 111º Ministro Geral
112 – Valentin Schaaf (1945–1946) – 112º Ministro Geral
113 – Pacífico Perantoni (1947–1952) – 113º Ministro Geral
114 – Augostino Sépinski (1952–1965) – 114º Ministro Geral
115 – Constantino Koser (1965–1979) – 115º Ministro geral
116 – John Vaughn (1979–1991) – 116º Ministro Geral
117 – Hermann Schalück (1991–1997) – 117º Ministro Geral
118 – Giácomo Bini (1997–2003) – 118º Ministro geral
119 – José Rodríguez Carballo (2003-2013) – 119º Ministro geral
120 – Michael Anthony Perry (2013-2021) – 120º Ministro Geral

Fonte: Franciscanos (Moacir Beggo)

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Facebook