Acendimento da Árvore de Natal no Santuário

Ontem iniciamos nossa caminhada em preparação ao Natal. Celebramos o 1º domingo do Advento, tempo de espera, de expectativa, de vigilância, mas também de muita esperança.  Às vezes entendemos de forma errada que as coisas ruins que acontecem em nossas vidas, a morte, as doenças, a pandemia, são castigos de Deus, o que não é verdade. Deus não castiga, temos um Deus de amor e de bondade.

Frei Djalmo seguiu lembrando a passagem da I Leitura, do profeta Isaías, que fala:

“Nunca se ouviu dizer nem chegou aos ouvidos de ninguém, jamais olhos viram que um Deus, exceto tu, tenha feito tanto pelos que nele esperam. Vens ao encontro de quem pratica a justiça com alegria, de quem se lembra de ti em teus caminhos”.

“O tempo do Advento é o tempo de receber essa Luz que nos visita. Quantas trevas nós enfrentamos, tanta tristeza, tanta dor, quantas pessoas queridas nós perdemos, quanta vontade de abraçar alguém, receber alguém em nossa casa para uma visita e que de modo rápido isso nos foi tirado.  Como é importante a gente conviver com alguém, e à medida que vai se aproximando o tempo do Natal nós lembramos ainda mais dos que partiram e dos que estão longe de nós. É um tempo que nos dá uma saudade profunda e uma esperança de dias melhores. O cristão discípulo de Jesus tem esperança. Nós cremos que o próximo ano será um ano melhor, com certeza, sobretudo nós pedimos nessa noite ao iniciar o Tempo do Advento essa Luz que pode dissipar as trevas e as tristezas do nosso coração, e muitos símbolos que envolvem a Luz nos acompanham nesse Natal.  Temos as luzes da rua, do comércio, das vitrines que também são importantes, mas não basta.  Para nós que somos católicos, discípulos de Jesus, outros símbolos nos acompanham nesse tempo de preparação espiritual:  a coroa do advento, que acendemos ontem a 1ª vela; a árvore de Natal que ainda está apagada, e quando o Espírito Santo vem, a luz de Deus ilumina nossos corações, tudo isso nos traz alegria”, afirmou Frei Djalmo.

Sensíveis aos acontecimentos desse ano, a Comunidade do Santuário do Divino Espírito Santo fez a tradicional Árvore de Natal de forma que possamos refletir acerca dos que partiram para a vida eterna, especialmente os acometidos pela Covid.  Assim, quando entrarmos na árvore e olharmos para cima veremos muitas estrelas.  A ideia é que ao olharmos para as estrelas nós possamos lembrar das pessoas que partiram nesse tempo de pandemia, que gostaríamos de estar com a família para prestar solidariedade.  Junto a árvore, nos dois anjos que ali estão, poderemos escrever os nomes dos que partiram para a vida eterna, para assim rezar e estar em comunhão com eles.  Ao centro está a Sagrada Família aguardando o Menino Jesus. E ao som da música “Luz Divina” a árvore foi acesa por membros da Comunidade que perderam seus entes-queridos vítimas da Covid.

Essa luz, é claro que é Jesus. Essa luz, só pode ser Jesus!”

Frei Djalmo finalizou a celebração convidando a todos para estarmos juntos na Confissão Comunitária, hoje às 19 horas, mais um passo em preparação para o Natal.

Clique aqui e confira o álbum completo.

 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Facebook