4° Domingo do Tempo Comum

Sou eu que sacralizo o lugar

 

A cidade de Cafarnaum, na qual se passa esse dia típico de Jesus, não tinha nada de sagrado. Em Marcos assume o símbolo de todos os lugares em que vivemos. Não é o lugar que santifica o discípulo e sua missão. A mente e o coração voltados para Deus, o nosso querer e agir voltados para Deus, que devem ser santos, é que santificam o ensinamento profético do discípulo e sua luta contra os males. Todos somos chamados a ser discípulos, ou, como diz a primeira leitura de hoje, a ser ‘profetas no meio dos irmãos’ (Dt 18,18), ou, como se diz no linguajar dos nossos dias, a ser evangelizadores. Uma evangelização autêntica exige do discípulo que viva em todo e qualquer lugar, em toda e qualquer hora, em todo e qualquer tempo crendo, adorando, contemplando e servindo o Senhor, quer esteja rezando, quer esteja trabalhando, quer esteja na intimidade de sua casa, quer esteja em praça pública.

Frei Clarêncio Neotti, OFM

 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Facebook