Paróquia em Ação

Frades do Espírito Santo se encontram no primeiro Capítulo Regional

Paz e Bem!

Os frades das três Fraternidades do Espírito Santo, sendo elas, da Paróquia Santa Clara (Colatina), da Paróquia Nossa Senhora do Rosário (Vila Velha) e do Convento da Penha, se reuniram nesta segunda-feira para o Capítulo Regional de Frades Franciscanos. Ao todo 14 freis participaram do Encontro Regional, que teve início na noite do último domingo (4), Festa de São Francisco de Assis, com a Celebração da Santa Eucaristia no Santuário Divino Espírito Santo, Centro de Vila Velha e em seguida um jantar.

O Capítulo aconteceu ainda em meio às comemorações de uma semana franciscana e recordou a memória litúrgica de São Benedito, santo franciscano invocado como protetor dos negros, escravos e cozinheiros; e também por ocasião do aniversário natalício do Frei Alessandro Dias, que celebra seus 40 anos de vida neste dia 5 de outubro. Outro fato importante é que este foi o primeiro encontro presencial neste ano de 2020.

O Coordenador do Regional e Pároco da Paróquia do Rosário, Frei Djalmo Fuck, explicou que este foi o primeiro encontro regional de toda a Província neste tempo de pandemia. “Pelo fato de sermos um regional menor, casas mais próximas, resolvemos nos encontrar presencialmente, claro respeitando todos os protocolos de distanciamento e uso de álcool. Foi uma oportunidade para discutirmos uma série de atividades que nossas fraternidades desempenham e até apresentar propostas para o próximo Capítulo Provincial que acontecerá no próximo ano”, afirmou o Frei.

Frei Djalmo explica que esta edição regional serviu para refletir os desafios da evangelização e da missão franciscana nas paróquias e nos santuários capixabas, sobretudo nesse momento pelo qual passamos de doença. Houve uma troca de experiências das realidades que cada fraternidade vive. Colatina, por exemplo, teve uma classificação diferente no mapa de risco da covid-19 em relação ao município de Vila Velha. “Há também uma troca de experiências porque são realidades bem diferentes. Partilhamos como vivemos entre os frades na nossa vivência, no nosso dia a dia, na qualificação da nossa vida fraterna e sobretudo nosso apostolado, nossa missão franciscana”, comenta o Coordenador do Regional.

O Pároco de Vila Velha também justificou a ausência do confrade Dom Frei Dario Campos, que participou do último regional no ano passado. Neste o arcebispo precisou se submeter a um pequeno procedimento cirúrgico e está se recuperando bem.

Como pauta da conversa, os frades também refletiram a Carta dos Ministros Gerais Franciscanos sobre os 800 anos da Regra Não Bulada;  Leitura e partilha fraterna de um texto sobre a “vocação franciscana: entre abandonos e fidelidade” e ainda os encaminhamentos do encontro formativo provincial.

O Encontro Regional foi encerrado com uma oração final, em seguida, um saboroso almoço. No período da tarde os freis retornaram às suas respectivas fraternidades.

Pastoral da Ecologia em Colatina

Com a Festa de São Francisco de Assis, a Igreja encerrou o “Tempo da Criação”, período em que somos chamados a olhar com mais reverência, respeito e cuidado com a nossa Mãe Terra. A proposta faz parte de um Movimento Católico Global pelo Clima, que se une aos esforços de diversas iniciativas pelo mundo afora, para agir em defesa do planeta. Uma ocasião oportuna para o exercício do cuidado. A iniciativa ecumênica celebrada desde 1989, propõe que os cristãos em todo o mundo busquem a reconciliação com nosso Criador durante esta celebração anual.

Dentro dessa proposta de preservação ecológica e de perceber atitudes transformadoras em prol do meio ambiente, a Paróquia Santa Clara de Assis de Colatina, está realizando uma campanha de cuidado com a criação. Frei João Lopes da Silva coordena as ações da Pastoral Ecológica local. As principais ações são a de reflorestamento de áreas desmatadas (ou desertificadas); coleta e separação adequada do lixo e o trabalho de educação ambiental junto com inserção de jovens e adolescentes nos trabalhos de preservação da Casa Comum.

“Na parte de cima da cidade nós trabalhamos com o reflorestamento e na parte da cidade nós realizamos na separação do lixo seco e do lixo úmido e estamos iniciando um projeto para descarte do óleo usado para que ele não possa ser jogado no rio, esgoto ou na natureza e vai ser destinado para a produção de sabão”, explicou Frei João Lopes.

Frei João comentou que as mudanças climáticas têm relação direta a ausência de florestamento e vegetação em muitas áreas do município do noroeste. Vale lembrar que Colatina é uma cidade com um dos climas mais quentes do estado.

 

AGENDA PAROQUIAL 2020