Comunidade N. Sra. do Rosário (Matriz) Comunidades Paróquia em Ação

Linha do Tempo

Com base nas múltiplas e, às vezes, contraditórias informações sobre a trajetória da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, elaboramos esta linha do tempo com o que mais se notou de unanimidade entre os autores e pesquisadores. Boa viagem.

Século XVI

Construção da frágil estrutura original, logo após o desembarque do primeiro donatário do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho, em 1535.

Século XVII

Intervenção na construção original, após aquela colapsar, sendo edificada com alvenaria estrutural em pedras e coberta por telhas de barro.

Século XVIII

Tem-se notícias de várias intervenções em consequência do seu abandono. Em 1750, a Igreja finalmente é elevada a paróquia passando a ter um vigário e sendo autorizada a arrecadar fundos.

Século XIX

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário recebe a visita de D. Pedro II, em estado na província do Espírito Santo, em 1860. Diante da situação de abandono da paróquia, o imperador chega a doar 400 mil reis para a reforma do templo.

Século XX

Em 1908 foram instalados os altares atuais e, em 1912, com a urbanização do entorno, a estrutura do templo foi reforçada. Foi tombada pelo IPHAN em 20/03/1950. No final da década de 1950, foram instalados os ladrilhos hidráulicos no piso. Nos anos de 1980, tem-se a intervenção mais impactante, com a remoção de componentes originais, como o púlpito de madeira e a substituição da estrutura de madeira do coro por concreto armado. Em 1999, recuperam-se as partes de madeira da Igreja, como telhados e esquadrias.

Século XXI

Em 2007, o altar-mor foi restaurado. Em 2016, foi iniciada e concluída a restauração do templo, com obra estrutural, elétrica, reboco, telhado, esquadrias, acessibilidade, e restauro de pinturas que remontam à configuração do templo na transição do século XIX para o século XX.

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

AGENDA PAROQUIAL 2020

Facebook